FREGUESIA DE CALDELAS ASSINA GEMINAÇÃO LITERÁRIA COM FREGUESA DE PAÇOS, NO CONCELHO DE FAFE, EM HOMENAGEM A CAMILO CASTELO BRANCO

No passado Sábado, 1 de junho, a freguesia de Paços (Concelho de Fafe) e a Vila das Taipas assinaram uma geminação literária que celebra a vida e obra do escritor romântico Camilo Castelo Branco, um vulto maior das letras portuguesa. Esta geminação permitirá fortalecer o estudo de Camilo Castelo Branco nestas duas localidades e fomentar laços culturais, sociais e humanos entre as duas povoações.

 

Da iniciativa “Camilo em Paços” realizada pelo segundo ano, constou várias reconstituições históricas, um jantar e uma merenda Camiliana, workshops e uma caminhada, bem como a assinatura do protocolo de geminação com a Vila das Taipas.

 

O Presidente da Junta de Freguesia da Vila das Taipas, Luís Soares, e Joaquim Barbosa, homologo Paçense, consideraram que “esta geminação permite fazer pontes que conduzam ao enriquecimento e desenvolvimento dos povos, nas suas múltiplas áreas, nomeadamente no âmbito cultural.”

 

Recorde-se que a freguesia de Paços e a freguesia das Taipas estão intimamente ligados à vida e obra do escritor romântico Camilo Castelo Branco que frequentou a Quinta do Ermo naquela freguesia de Fafe e a Vila Termal das Taipas, onde esteve escondido da polícia por motivos de amor.

 

Para o próximo ano, em que se comemora o 160º aniversário da presença de Camilo Castelo Branco na Vila das Taipas, Luís Soares deu conta de que a Junta de Freguesia constitui um grupo de trabalho composto por historiadores, professores e pela companhia de teatro local “ATRAMA” que assumirão a responsabilidade de trabalhar um programa cultural para o ano de 2020 e desta forma contribuir para conjugar esforços no sentido de ajudar ao sucesso desta geminação literária

 

…«Fui de Santo António das Taipas para as cercanias de Fafe, quinta do Ermo, onde me esperava, com os braços abertos e o coração no sorriso, José Cardoso Vieira de Castro»…

 

…«Saí do Ermo, outra vez para as Taipas … «…Chegámos a uma chã, onde estava arvorada cruz de pedra, chamada a cruz de Lestoso»…

 

In, MEMÓRIAS DE CÁRCERE de Camilo Castelo Branco