Skip to content Skip to left sidebar Skip to footer

Condecorações

Medalha de Honra da Freguesia de Caldelas

PROPOSTA DE ATRIBUIÇÃO DE MEDALHA DE HONRA DA FREGUESIA DE CALDELAS

O ano de 2011 ficou marcado, na história da nossa freguesia, pela comemoração do centenário da empresa de cutelarias Herdmar (Manuel Marques, Herdeiros, S.A.). Esta comemoração, que desde logo teve a preocupação de envolver toda a comunidade local, representou não só o gáudio pela bonita idade atingida, como também o orgulho de todos os taipenses no seu património industrial.

O sucesso desta empresa, que estoicamente subsiste há um século, tem expressão efectiva no progresso da nossa freguesia, não só pelo seu contributo para o desenvolvimento da economia local, mas também pela propagação do nome da nossa terra além fronteiras.

A história desta empresa é intrínseca à história da própria vila. Ao longo destes 100 anos a preocupação com o desenvolvimento desta localidade foi e continua a ser uma constante para os administradores e proprietários da Herdmar.

Pelas razões acima descritas, vem o executivo da Freguesia de Caldelas propor a V/Exas. a atribuição da Medalha de Honra da Freguesia de Caldelas a esta digníssima instituição.

  • Deliberação da Condecoração na Assembleia de Freguesia de 29 de dezembro de 2011.
  • Entrega e Imposição da Condecoração a 20 de janeiro de 2012.

PROPOSTA DE ATRIBUIÇÃO DE MEDALHA DE HONRA DA FREGUESIA DE CALDELAS

O ano de 2012 marca uma feliz data na história daquela que é uma das associações mais emblemáticas e prestigiadas da vila. A Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários das Caldas das Taipas completa 125 anos de existência, a zelar, desde 1887, pela segurança de todos os taipenses, assim como das populações vizinhas, respondendo prontamente a todas as suas solicitações.

São por demais evidentes e relevantes os préstimos desta associação, personificados em todos os homens e mulheres que compõem o seu Corpo de Bombeiros e que, sob o lema “Vita Pro Vita”, abdicam do seu tempo, dão o seu esforço e arriscam a própria vida, para, apenas guiados por um sentido humanitário, garantirem a segurança de vidas e de bens de todos aqueles que, nos momentos mais difíceis, os procuram, e em todos aqueles que a dirigem e dirigiram ao longos de tantos anos.

É de salientar ainda o esforço desta Associação no desenvolvimento da Vila, dotando-a de infraestruturas importantes, nomeadamente para a saúde, cultura, bem-estar e desporto, promovendo e concretizando, a expensas próprias, a construção de um salão nobre e de um auditório, da piscina, pavilhão, área administrativa e ampliação do parque de viaturas e da respetiva frota, proporcionando, assim, à população condições de que há muito carecia.

Indissociável do sucesso e crescimento desta Associação é o ilustríssimo Presidente da sua Direção, Padre José das Neves Machado que, ao longo de já quase duas décadas de esforço, sacrifício e abnegação, tem sabido conduzir, com todos os que o têm acompanhado nos órgãos sociais, a Associação no trilho do crescimento e desenvolvimento das suas infraestruturas, bem como no apetrechamento do seu Corpo de Bombeiros com a formação e os meios necessários à prestação de um socorro à população cada vez mais eficaz e de maior qualidade, com destaque para as novas e modernas instalações para a área operacional.

Enquanto Presidente, tem sido um exemplo para o associativismo, pelo seu entusiasmo, dedicação e empenho, prosseguindo uma notável ação humanitária, visível e reconhecida a nível nacional e, de modo especial, pelo seu Corpo de Bombeiros e pela população de Caldas das Taipas e das freguesias da sua área de intervenção.

Pelas razões acima descritas, e pela excelência dos bons serviços prestados, vem o executivo da Freguesia de Caldelas propor à Assembleia de Freguesia de Caldelas a atribuição da Medalha de Honra da Freguesia de Caldelas à Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários das Caldas das Taipas, assim como ao seu ilustríssimo Presidente da Direção, Padre José das Neves Machado, ambos merecedores do reconhecimento público da Freguesia.

  • Deliberação da Condecoração na Assembleia de Freguesia de 04 de maio de 2012.
  • Entrega e Imposição da Condecoração a 19 de junho de 2012.

PROPOSTA DE ATRIBUIÇÃO DE MEDALHA DE HONRA DA FREGUESIA DE CALDELAS

O ano de 2012 marca uma feliz data na história daquela que é uma das associações mais emblemáticas e prestigiadas da vila. A Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários das Caldas das Taipas completa 125 anos de existência, a zelar, desde 1887, pela segurança de todos os taipenses, assim como das populações vizinhas, respondendo prontamente a todas as suas solicitações.

São por demais evidentes e relevantes os préstimos desta associação, personificados em todos os homens e mulheres que compõem o seu Corpo de Bombeiros e que, sob o lema “Vita Pro Vita”, abdicam do seu tempo, dão o seu esforço e arriscam a própria vida, para, apenas guiados por um sentido humanitário, garantirem a segurança de vidas e de bens de todos aqueles que, nos momentos mais difíceis, os procuram, e em todos aqueles que a dirigem e dirigiram ao longos de tantos anos.

É de salientar ainda o esforço desta Associação no desenvolvimento da Vila, dotando-a de infraestruturas importantes, nomeadamente para a saúde, cultura, bem-estar e desporto, promovendo e concretizando, a expensas próprias, a construção de um salão nobre e de um auditório, da piscina, pavilhão, área administrativa e ampliação do parque de viaturas e da respetiva frota, proporcionando, assim, à população condições de que há muito carecia.

Indissociável do sucesso e crescimento desta Associação é o ilustríssimo Presidente da sua Direção, Padre José das Neves Machado que, ao longo de já quase duas décadas de esforço, sacrifício e abnegação, tem sabido conduzir, com todos os que o têm acompanhado nos órgãos sociais, a Associação no trilho do crescimento e desenvolvimento das suas infraestruturas, bem como no apetrechamento do seu Corpo de Bombeiros com a formação e os meios necessários à prestação de um socorro à população cada vez mais eficaz e de maior qualidade, com destaque para as novas e modernas instalações para a área operacional.

Enquanto Presidente, tem sido um exemplo para o associativismo, pelo seu entusiasmo, dedicação e empenho, prosseguindo uma notável ação humanitária, visível e reconhecida a nível nacional e, de modo especial, pelo seu Corpo de Bombeiros e pela população de Caldas das Taipas e das freguesias da sua área de intervenção.

Pelas razões acima descritas, e pela excelência dos bons serviços prestados, vem o executivo da Freguesia de Caldelas propor à Assembleia de Freguesia de Caldelas a atribuição da Medalha de Honra da Freguesia de Caldelas à Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários das Caldas das Taipas, assim como ao seu ilustríssimo Presidente da Direção, Padre José das Neves Machado, ambos merecedores do reconhecimento público da Freguesia.

  • Deliberação da Condecoração na Assembleia de Freguesia de 04 de maio de 2012.
  • Entrega e Imposição da Condecoração a 19 de junho de 2012.

Maria Alcide Vasconcelos Felgueiras, por todos carinhosamente tratada por “Cidinha da Seara”, é indissociável da “Casa da Seara”, uma casa e uma família com fortes ligações à nossa vila e à respetiva Paróquia, que desde tempos imemoriáveis sempre prestou apoio e acolheu, até, mesmo que temporariamente, os seus sucessivos párocos”. É ainda referido que “a sua dedicação aos jovens e aos doentes foram, talvez, os passos mais marcantes na sua vida, enquanto cidadã taipense, não só para ela como também para todos quantos a recordam com saudade e dela guardam boas recordações, conforto espiritual e humano, e até alguma da sua formação humana e religiosa. É ainda realçado “o seu prestimoso contributo nas negociações de terrenos necessários à construção dos quartéis dos bombeiros e da GNR, bem como a doação de terreno para as atuais infraestruturas do Clube Caçadores das Taipas

 

  • Deliberação da Condecoração na Assembleia de Freguesia de 29 de abril de 2013.
  • Entrega e Imposição da Condecoração a 19 de junho de 2013.

Augusto Monteiro Dias de Castro, “médico, residente definitivamente na freguesia de Caldelas desde 1949, conhecido por “Doutor dos Banhos” por o seu primeiro consultório ter sido fixado no Estabelecimento Termal das Taipas”, o documento de fundamentação apresentado pelo executivo da Junta de Freguesia, assume que “a história da freguesia e da Vila nunca poderá olvidar a presença omnipresente do Dr. Augusto Dias durante a segunda metade de todo o século XX.” ”A Medalha de Honra da freguesia pretende galardoar o excepcional exercício de actividades de interesse humano; actos notáveis ligados à humanidade de que resulte grande honra, prestigio ou evidentes benefícios colectivos com expressão efectiva e duradoura na história da freguesia.” No documento é enaltecido a “vida dedicada ao exercício da medicina, actividade humana em que os valores humanos da solidariedade e da disponibilidade mais exigem dos seus actores, o Dr. Augusto Dias prestou testemunhos incontáveis de auxílio, assistência, solidariedade, disponibilidade que merecem ser registados e perpetuados. Nos momentos históricos em que o Serviço Nacional de Saúde não existia; que as condições de vida da generalidade dos portugueses era paupérrima; que as condições de higiene das casas e espaços públicos eram profundamente deficientes, o Dr. Augusto Dias esteve presente para ajudar, para prestar apoio a quem dele necessitava, para estar, principalmente, junto dos pobres a quem nunca regateou o acto médico mesmo que não tivessem posses para lhe pagar.”

  • Deliberação da Condecoração na Assembleia de Freguesia de 29 de abril de 2013.
  • Entrega e Imposição da Condecoração a 19 de junho de 2013.

PROPOSTA DE ATRIBUIÇÃO DE MEDALHA DE HONRA DA FREGUESIA DE CALDELAS

No cumprimento do artigo 3º do Regulamento de Condecorações da Freguesia em vigor, vem o executivo da Freguesia apresentar, por proposição do Partido Socialista, ao qual se associa, a aprovação da atribuição da Medalha de Honra da Freguesia de Caldelas a José Francisco Rosas Guimarães , a título póstumo, concedendo-lhe o título de Cidadão Benemérito de Caldas das Taipas.

“O ano transacto de 2013, marcou o centésimo aniversário sobre a data de nascimento de um tão ilustre taipense: José Francisco Rosas Guimarães.

Rosas Guimarães nasceu a 28 de Abril de 1913, na freguesia de Cedofeita, do concelho do Porto, mas cedo criou laços com a Vila de Caldas das Taipas. Em criança Rosas Guimarães passava as suas férias na Casa da Mogada, onde conheceu a sua esposa, D. Vera Carvalho, com quem veio a casar no ano em 1940, fixando-se então na Quinta da Bouça!

A sua influência iniciou-se nessa altura, e por intermédio do Comandante Crato, tio da sua mulher, tendo sido Presidente da Junta de Turismo e Vereador da Câmara Municipal de Guimarães.

Pessoa de cariz generoso, convicta dos seus ideais e um visionário, dedicou as suas sinergias às Taipas e para as Taipas. A sua actuação marcou, de forma indelével, a Vila das Taipas. Foi nos tempos em que Rosas Guimarães ocupava os cargos acima referidos que Caldas da Taipas viveu um período de exponencial crescimento quantitativo e qualitativo!

Apostando na criação e melhoramento das infra-estruturas locais, tais como a pavimentação e a arborização de algumas ruas, a manutenção do ringue de patinagem e do parque infantil, a criação dos cortes de ténis e nas piscinas, potenciando de forma notável o crescimento e desenvolvimento do parque de lazer das Taipas, estimulou o turismo na Vila e a melhoria da qualidade de vida dos Taipenses!

Não raras vezes apoiou desinteressada e altruisticamente os Taipenses mais carenciados, com recurso aos seus próprios bens.

Rosas Guimarães assumiu a veste de um verdadeiro Taipense, tendo, como se descreveu, exercido, de forma excepcional, actividades de interesse social, humano e altamente relevantes para a Vila das Taipas e da sua população, que perduram até aos dias de hoje! “Eu apenas olhei pelas Taipas e nada mais…” costumava Rosas Guimarães afirmar com a toda a modéstia e humildade que lhe era reconhecida por todos, do que lhe resulte grande modéstia e honra!”

Por tudo isto, a bancada parlamentar do Partido Socialista, propõe à Junta de Freguesia que, no âmbito das suas competências regulamentares nesta matéria, proponha a esta Assembleia de Freguesia a condecoração de José Francisco Rosas Guimarães sob a forma de Medalha de Honra da Freguesia de Caldelas.”

  • Deliberação da Condecoração na Assembleia de Freguesia de 09 de maio de 2014.
  • Entrega e Imposição da Condecoração a 19 de junho de 2014.

PROPOSTA DE ATRIBUIÇÃO DE MEDALHA DE HONRA DA FREGUESIA DE CALDELAS

A Junta de Freguesia de Caldelas, ao abrigo do Regulamento de Condecorações em vigor, propõe a atribuição da Medalha de Honra da Freguesia ao Sr, Dr. FERNANDO JOSÉ ANTUNES SARAIVA MONTEIRO, em função do exercício excepcional de actividades de interesse humano ao serviço da freguesia de Caldelas

O Dr. FERNANDO JOSÉ ANTUNES SARAIVA MONTEIRO, médico farmacêutico e médico analista, comporta a sua longa existência indissociavelmente ligada à história de Caldas das Taipas.
A história de Caldas das Taipas assinalará, para sempre, a presença do Dr. Fernando Monteiro na construção daquilo que foram os tempos áureos da vila e ainda o que é hoje.
Pela sua ligação, durante 23 anos, como Presidente da Junta de Turismo das Taipas, o Dr. Fernando Monteiro foi protagonista das construções e realizações mais queridas à vila da freguesia.
Acompanhou o seu pai na Comissão de Iniciativa de Turismo das Taipas na construção das piscinas, do parque de lazer, do Ringue de Patinagem, do parque de campismo, e na exploração das águas termais.
Como presidente da Junta de Turismo adquiriu o terreno para a piscina olímpica e para a de crianças bem como construiu a Casa Abrigo no Parque de Campismo.
Foi dirigente da maior parte das associações da Vila, desde o Hóquei Clube, aos Bombeiros Voluntários onde, de forma desinteressada, contribuiu com o seu tempo e saber bem como com atribuições patrimoniais importantes.
Contemporâneo de Rosas Guimarães, foi vereador na Câmara Municipal de Guimarães durante oito anos com o pelouro de Caldas das Taipas, ao qual sucedeu.
Durante o seu mandato como vereador para as Taipas procederam-se a abertura de diversas artérias na vila, pavimentações, electrificações e alocação de água potável a muitas habitações.
Se existem Taipenses que dedicaram toda a sua vida à causa das Taipas, o Dr. Fernando Monteiro é um deles
Dentro das suas actividades altruístas, foi voluntário na Casa dos Pobres Tomaz Rocha dos Santos, sedeada nas Taipas e voluntário nas campanhas de recolha de sangue.
Foi uma personalidade da terra que nunca recusou apoio a qualquer associação, organização ou iniciativa.
Estamos na presença de uma pessoa que esteve presente nas realizações mais importantes da história recente da vila.

Por isso e em função disso, com a sua necessária autorização, uma vez que se encontra ainda no mundo dos vivos, a junta de freguesia propõe a aprovação da atribuição da medalha de honra.

Por só agora conseguirmos a sua autorização, a junta de freguesia, requer ao Sr. Presidente da Mesa que, ao abrigo do disposto no art.º 19 do CPA, a admissão da presente proposta a inserir no ponto n.º 8 da ordem de trabalhos.
A presente deliberação apresenta-se como urgente uma vez que a junta de freguesia, caso seja aprovado, pretende que a condecoração proposta possa ser atribuída na sessão solene de 19 de Junho, dia da vila, e não se prevê que até àquela data se realize nova assembleia de freguesia.

  • Deliberação da Condecoração na Assembleia de Freguesia de 09 de maio de 2014.
  • Entrega e Imposição da Condecoração a 19 de junho de 2014.

PROPOSTA DE ATRIBUIÇÃO DE MEDALHA DE HONRA DA FREGUESIA DE CALDELAS

A Junta de Freguesia de Caldelas, ao abrigo do Regulamento de Condecorações em vigor, propõe a atribuição da Medalha de Honra da Freguesia a ELISABETE MATOS, em função do exercício excecional de atividades de interesse humano de que resulte grande honra e prestigio, com expressão efetiva na história da freguesia de Caldelas

MARIA ELISABETE DA SILVA DUARTE MATOS, cantora lírica como é apelidada, nasceu na Vila de Caldas das Taipas há cerca de 50 anos.

Concluiu a escolaridade básica na escola primária e no ciclo preparatório de Caldas das Taipas. Iniciou a sua formação musical na Banda de Música de Caldas das Taipas. Concluiu o curso de canto no Conservatório de Música de Braga. Como bolseira da Fundação Calouste Gulbenkian completou os seus estudos em Espanha na área do canto e da representação. Um segundo lugar num Concurso Europeu de Canto foi o início da sua carreira internacional. Seria fastidioso elencar todas as actuações da Elisabete que se resumem da seguinte forma: actuou nos teatros melhores, maiores e mais prestigiados do mundo; interpretou com brilho e excecionalidadae os papeis de ópera mais difíceis e importantes da história da música universal; cantou com os ícones mundiais do canto: Plácido Domingo, José Carreras, e outros igualmente importantes mas menos mediáticos. É considerada a maior e mais conhecida internacionalmente cantora de ópera portuguesa.

Foi nomeada Oficial da Ordem do Infante D. Henrique pelo Presidente da República Portuguesa. Foi galardoada com a Medalha de Ouro por Mérito Artístico da Cidade de Guimarães. Foi agraciada com o Prémio Femina 2013 por mérito nas artes musicais e bel canto, em Guimarães. Em 2000, o álbum La Dolores, em que participou, recebeu o Grammy Latino para Best Classical Album. Em 9 de junho de 2015 recebe a Medalha de Mérito Cultural, no Teatro Nacional de S. Carlos, numa cerimónia que conta com a presença do primeiro-ministro e do secretário de Estado da Cultura.

Em 2015 candidata-se à direção artística do Teatro Nacional de São Carlos no concurso internacional que expirou a 30 de outubro 2015.

Porque a terra que a viu nascer e crescer até à idade adulta ainda a não tinha homenageado condignamente; e por ser um reconhecimento que se impõe tanto mais que a agraciada sempre colaborou com os seus talentos para o engrandecimento das realizações culturais que se organizavam na vila.

Por tudo o que se expôs, propõe a junta de freguesia atribuição da Medalha de Honra da freguesia, a MARIA ELISABETE DA SILVA DUARTE MATOS.

A Junta de freguesia

  • Deliberação da Condecoração na Assembleia de Freguesia de 29 de abril de 2016.
  • Entrega e Imposição da Condecoração a 19 de junho de 2016.

PROPOSTA DE ATRIBUIÇÃO DE MEDALHA DE HONRA DA FREGUESIA DE CALDELAS

A Junta de Freguesia de Caldelas, ao abrigo do Regulamento de Condecorações em vigor, vem propor, e por sugestão em Assembleia de Freguesia, a atribuição da Medalha de Honra da Freguesia a José Maria Ferreira de Castro, autor português com mais obras traduzidas para outros idiomas.

Ferreira de Castro nasceu longe, em Ossela, no concelho de Oliveira de Azeméis, a 24 de Maio de 1898 e veio a falecer no Porto a 29 de Junho de 1974. O autor do luso-tropicalismo teve uma vida dura, nasceu em berço modesto e cedo emigrou para o Brasil para fazer vida, assistindo à dureza das condições de trabalho na Selva Amazónica. Contudo de sua estadia no Brasil surgiu um sonho, o de um dia ser escritor a tempo inteiro. Cedo começou a sua senda literária estando ainda radicado em Terras de Vera Cruz, mas seria no seu regresso a Portugal que se dedicaria a tempo inteiro à escrita. Um dos grandes hábitos de Ferreira de Castro, como via de meditar os seus romances, consistia num deambular longo e de passo lento, por vezes com paragens contemplativas enquanto nas profundezas da sua mente as suas personagens ganhavam forma. A par disto Ferreira de Castro, pessoa reservada e até tímida, era também conhecido pela sua simpatia e afinidade pelo próximo, nunca negando a palavra a quem o abordava, nem descartando a companhia de quem o queria acompanhar durante os seus passeios meditativos. Foi a serenidade e a beleza natural das Caldas das Taipas aliada às suas gentes únicas que o seduziram a assentar arraiais em tempo de estio na Vila. Nas Caldas das Taipas o escritor desenvolveu um verdadeiro sentimento telúrico, brindando a vila com palavras generosas que ecoam ainda nos dias de hoje na voz das pessoas: “A terra onde a Lua fala”, só a amplitude desta simples frase confere logo a Vila dons místicos para além da compreensão humana. Seu carinho pela Vila também foi demonstrado no  romance “Instinto Supremo”, sendo a Vila um dos cenários para trama projetando desta forma o nome das Caldas das Taipas para além fronteiras, e para toda a eternidade. O seu quarto de estimação no Hotel das Termas, nas traseiras e virado para o então Parque das Termas, terão certamente sido cenário fecundo para inspirar Ferreira de Castro que religiosamente todos os anos mandava diretamente de Lisboa, com antecedência, todas as suas bagagens para o Hotel. Esse mesmo quarto, sempre equipado com uma escrivaninha, rapidamente se tornava num autêntico escritório, repleto de ensaios do autor. Foram quase 20 anos de férias de veraneio nas Caldas das Taipas e o escritor acabaria por ser apadrinhado pelos Taipenses como seu, levando um grupo de ilustres em 1971 a realizar uma subscrição pública com vista a descerrar um busto a tão ilustre visitante como forma de demonstração pública de carinho. Pouco tempo depois o escritor dava o seu último sopro de vida, contudo o homem morreu, mas a sua obra ficará para sempre eterna nos anais da literatura universal, e com ela o nome das Caldas das Taipas!

Por tudo o que se expôs, e por sugestão da bancada parlamentar do Partido Socialista, propõe-se a atribuição da Medalha de Honra da Freguesia,

A Junta de Freguesia

  • Deliberação da Condecoração na Assembleia de Freguesia de 12 de junho de 2017.
  • Entrega e Imposição da Condecoração a 22 de junho de 2017.

PROPOSTA DE ATRIBUIÇÃO DE MEDALHA DE HONRA DA FREGUESIA DE CALDELAS

A Junta de Freguesia de Caldelas, ao abrigo do Regulamento de Condecorações em vigor, propõe a atribuição da Medalha de Honra da Freguesia à família Agrellos na pessoa de Manuel Carlos Agrellos pelo reconhecimento de evidentes benefícios colectivos para a população de Caldas das Taipas.

A história de Caldas das Taipas não se faz apenas dos seus naturais e/ou residentes como também das pessoas que herdam e adoptam Caldas das Taipas como refúgio. Era esse o caso da família Agrellos, distinta família do Porto que, passava os meses de setembro no veraneio de Caldas das Taipas.

Toda a zona envolvente ao parque, como hoje a conhecemos, foi outrora uma grande quinta, propriedade de Joaquim Ferreira Marques, pai de Manuel Carlos Agrellos. Foi graças à doação dos terrenos que ainda hoje compõe o parque de lazer por parte de Joaquim Ferreira Marques que foi possível construir aquele que seria um importante activo no desenvolvimento e afirmação da nossa vila como destino de turismo de natureza e termal por excelência.

O desenvolvimento de Caldas das Taipas é intrínseco à generosidade da família Agrellos. A família Agrellos teve a sensibilidade de aceitar e permitir o crescimento da nossa vila e o seu desenvolvimento em prejuízo do próprio património. A construção da Alameda Rosas Guimarães rasgou a enorme Quinta do Canto, passando a mesma a estar dividida em 3: Quinta do Canto de Cima, Quinta do Canto de Baixo e Quinta do Canto do Meio.

Aquando da construção das piscinas de Caldas das Taipas, foi também esta família, agora já o filho Manuel Carlos Agrellos, quem cedeu cerca de 550m2 de terreno. Como reconhecimento, a Junta de Turismo deu à família um livre-trânsito para usufruírem da piscina aquando das suas temporadas de férias nas Taipas. As piscinas trouxeram ares de modernidade à Vila, a visitas dos “taipenses do Porto” com os seus trajes de banho modernos causavam alguma celeuma ao pároco da vila que considerava os trajes pouco católicos.

Referência ainda para o parque de campismo que ocupou uma porção de terrenos da família, contando com a complacência e magnanimidade da mesma.

A benevolência desta família atravessa gerações, mais recentemente, a construção do actual recinto da feira incluiu terrenos pertencentes a esta família.

A construção da Vila de Caldas das Taipas, da sua história e do seu património é indissociável das acções generosas desta família.

Por tudo o que se expôs, propõe a junta de freguesia atribuição da Medalha de Honra da freguesia, a Manuel Carlos Agrellos.

A Junta de Freguesia

  • Deliberação da Condecoração na Assembleia de Freguesia de 12 de junho de 2017.
  • Entrega e Imposição da Condecoração a 22 de junho de 2017.

Medalha de Mérito da Freguesia de Caldelas

Medalha de Mérito da freguesia de Caldelas Ao cidadão Fernando Lopes Matos, “professor de música aposentado, nascido na freguesia de Caldelas, e com toda a sua vida ligada ao associativismo e cultura da freguesia e vila de Caldas das Taipas” é atribuída a Medalha de Mérito da freguesia. O executivo justifica esta condecoração como forma de “distinguir quem se tenha notabilizado na valorização do património local; na divulgação dos nossos costumes e tradições ou que tenham contribuído de forma destacada para a promoção da cultura.” “A sua ação, na promoção da música, passou pela sua abnegada dedicação ao ensino gratuito do solfejo e instrumento, iniciando, assim, centenas de taipenses pelo gosto pela música erudita, conseguindo que um grande número seguisse a profissão ligada à música como executantes em orquestras, no ensino, e outros grupos” é outro argumento apresentado. Outros méritos são reconhecidos a este taipense: “A ação do homenageado estendeu-se para o desporto, no CC Taipas, onde foi, em variados e distintos tempos, director, contribuindo com o seu trabalho para a recuperação manutenção e engrandecimento do CC Taipas.”

 

  • Deliberação da Condecoração na Assembleia de Freguesia de 29 de abril de 2013.
  • Entrega e Imposição da Condecoração, a 19 de junho de 2013.

PROPOSTA DE ATRIBUIÇÃO DE MEDALHA DE MÉRITO DA FREGUESIA DE CALDELAS

A Junta de Freguesia de Caldelas, ao abrigo do Regulamento de Condecorações em vigor, propõe a atribuição da Medalha de Mérito da Freguesia às Associações Centro de Actividades Taipense e Club Caçadores das Taipas, em função do notável contributo na promoção, divulgação e desenvolvimento do desporto na freguesia de Caldelas.

A alínea e) do n.º 1 do art.º 6.º do Regulamento de Condecorações da Freguesia dispõe que a medalha de mérito da freguesia será atribuída a pessoas singulares ou colectivas, residentes ou sedeadas na freguesia que se tenham notabilizado no domínio da formação desportiva e para a promoção, divulgação e desenvolvimento do desporto na freguesia.

O Clube de Caçadores das Taipas é o Clube Desportivo de referência na Vila, por ser o mais antigo e por ter sido  fundado em 1923, quase centenário, de existência ininterrupta, de actividade constante na prática do futebol.

O Centro de Actividades Taipense, fundado em 1974, viu ser-lhe reconhecida utilidade pública no ano 2000. Agrega 270 atletas, repartidos por desportos como hóquei em patins, voleibol, patinagem artística, ballet e karaté.

É inequívoco o contributo dado por estas associações taipenses à promoção e desenvolvimento do desporto na freguesia. A formação, abrangendo várias faixas etárias, contribui sobremaneira na construção da cidadania dos nossos jovens, criando desde muito cedo laços afectivos ao clube e por inerência à vila de Caldas das Taipas.

A formação desportiva é um importante factor no desenvolvimento pessoal, os valores incutidos, como o espírito de equipa, o trabalho, a solidariedade são cruciais na construção de melhores cidadãos.

Muitas têm sido as conquistas e vitórias conseguidas por estas duas associações. Juntas, têm levado o nome da Vila de Caldas das Taipas a todo o país, contribuindo assim para a construção de uma imagem positiva da nossa Vila. É uma honra e prestígio ver o brasão da nossa freguesia no estandarte destas associações.

Pretende-se que esta homenagem abarque todos aqueles que fazem parte destas associações, no passado, presente e futuro. Desde os directores aos atletas, colaboradores, sócios e beneméritos. Esta é uma homenagem a todos os que acreditam no voluntarismo, no trabalho em prol de uma comunidade melhor através da prática do desporto.

Sabemos os constrangimentos com que estas associações se debatem no seu dia-a-dia. Conscientes da dificuldade que é gerir instituições desta envergadura e importância, pretendemos que este reconhecimento seja também, e além de uma manifestação de regozijo e gratidão desta freguesia, uma chamada de atenção para que a sociedade reconheça e apoie estas instituições, aproximando-se delas, contribuindo com a sua disponibilidade, o seu tempo, para que estas associações, que tanto nos orgulham, possam perdurar para benefício das gerações vindouras.

Por tudo o que se expôs, propõe a junta de freguesia atribuição da Medalha de Mérito da Freguesia de Caldelas ao Clube Caçadores das Taipas e ao Centro de Actividades Taipenses.

A Junta de Freguesia

  • Deliberação da Condecoração na Assembleia de Freguesia de 12 de junho de 2017.
  • Entrega e Imposição da Condecoração a 22 de junho de 2017.

PROPOSTA DE ATRIBUIÇÃO DE MEDALHA DE MÉRITO DA FREGUESIA DE CALDELAS

A Junta de Freguesia de Caldelas, ao abrigo do Regulamento de Condecorações em vigor, propõe a atribuição da Medalha de Mérito da Freguesia às Associações Centro de Actividades Taipense e Club Caçadores das Taipas, em função do notável contributo na promoção, divulgação e desenvolvimento do desporto na freguesia de Caldelas.

A alínea e) do n.º 1 do art.º 6.º do Regulamento de Condecorações da Freguesia dispõe que a medalha de mérito da freguesia será atribuída a pessoas singulares ou colectivas, residentes ou sedeadas na freguesia que se tenham notabilizado no domínio da formação desportiva e para a promoção, divulgação e desenvolvimento do desporto na freguesia.

O Clube de Caçadores das Taipas é o Clube Desportivo de referência na Vila, por ser o mais antigo e por ter sido  fundado em 1923, quase centenário, de existência ininterrupta, de actividade constante na prática do futebol.

O Centro de Actividades Taipense, fundado em 1974, viu ser-lhe reconhecida utilidade pública no ano 2000. Agrega 270 atletas, repartidos por desportos como hóquei em patins, voleibol, patinagem artística, ballet e karaté.

É inequívoco o contributo dado por estas associações taipenses à promoção e desenvolvimento do desporto na freguesia. A formação, abrangendo várias faixas etárias, contribui sobremaneira na construção da cidadania dos nossos jovens, criando desde muito cedo laços afectivos ao clube e por inerência à vila de Caldas das Taipas.

A formação desportiva é um importante factor no desenvolvimento pessoal, os valores incutidos, como o espírito de equipa, o trabalho, a solidariedade são cruciais na construção de melhores cidadãos.

Muitas têm sido as conquistas e vitórias conseguidas por estas duas associações. Juntas, têm levado o nome da Vila de Caldas das Taipas a todo o país, contribuindo assim para a construção de uma imagem positiva da nossa Vila. É uma honra e prestígio ver o brasão da nossa freguesia no estandarte destas associações.

Pretende-se que esta homenagem abarque todos aqueles que fazem parte destas associações, no passado, presente e futuro. Desde os directores aos atletas, colaboradores, sócios e beneméritos. Esta é uma homenagem a todos os que acreditam no voluntarismo, no trabalho em prol de uma comunidade melhor através da prática do desporto.

Sabemos os constrangimentos com que estas associações se debatem no seu dia-a-dia. Conscientes da dificuldade que é gerir instituições desta envergadura e importância, pretendemos que este reconhecimento seja também, e além de uma manifestação de regozijo e gratidão desta freguesia, uma chamada de atenção para que a sociedade reconheça e apoie estas instituições, aproximando-se delas, contribuindo com a sua disponibilidade, o seu tempo, para que estas associações, que tanto nos orgulham, possam perdurar para benefício das gerações vindouras.

Por tudo o que se expôs, propõe a junta de freguesia atribuição da Medalha de Mérito da Freguesia de Caldelas ao Clube Caçadores das Taipas e ao Centro de Actividades Taipenses.

A Junta de Freguesia

  • Deliberação da Condecoração na Assembleia de Freguesia de 12 de junho de 2017.
  • Entrega e Imposição da Condecoração a 22 de junho de 2017.