Mês: Março 2019

Comemorações do 25 de abril de 1974

A Freguesia de Caldelas e o Núcleo de Estudos 25 de abril desenvolvem, pelo segundo ano consecutivo, um programa de comemorações do 25 de abril de 1974.

A partir do dia 30 de março (sábado) e até ao dia 03 de maio, no Centro Comercial Passerelle, na Vila de Caldas das Taipas, estará patente a exposição “Portugal e o Futuro”, sendo a exposição mais recente produzida pelo NE 25 de abril.

No decorrer da próxima semana será pintado um “Mural da Liberdade” na entrada da Vila, próximo ao Rio Ave, em parceria com turmas das Escola Secundária das Caldas das Taipas, Agrupamento de Escolas de Briteiros e Agrupamento de Escolas das Taipas.

No dia 24 de abril pelas 21h30 decorre o já habitual concerto “Vozes em Liberdade”. Este evento marca também o arranque da programação dos Banhos Velhos com o apoio da Taipas Termal, com o espetáculo organizado pelo Núcleo de Estudos 25 de Abril no Pavilhão Multiusos da Escola Secundária das Caldas das Taipas. Esta iniciativa contará com participações dos agrupamentos de Briteiros e Arqueólogo Mário Cardoso e ainda de Ana Sofia Teixeira, Mustang, Polar Bear e A Luta.

Do programa conjunto é assinalada ainda a conferência “Hoje Falamos de Liberdade” com o capitão de Abril Rodrigo Sousa e Castro, agendada para a sexta-feira, 03 de maio, pelas 21h30 na sede da Junta de Freguesia de Caldelas.

A entrada é livre em todas as iniciativas.

INFORMAÇÃO | Recinto da Feira Semanal – Estacionamento Condicionado

A Junta de Freguesia informa que a parte inferior do estacionamento do recinto da feira semanal, estará encerrada das 20 horas do dia 22 (sexta-feira) até às 20 horas do dia 23 de março (sábado).

O acesso ao estacionamento da parte superior do recinto terá de ser feito pela Rua da Boucinha (frente aos Bombeiros Voluntários).
Agradecemos a compreensão.

Caldelas, 21 de março de 2019

A Junta de Freguesia

Limpeza das margens da ribeira da Canhota por alunos da UMinho, da Escola da Charneca, elementos do Laboratório da Paisagem e da Brigada Verde de Caldelas

Na semana em que se assinala o Dia Internacional de Ação pelos Rios, cerca de 25 alunos de Biologia Aplicada da Universidade do Minho, 24 alunos da Escola da Charneca e elementos da Brigada Verde de Caldelas, participaram na manhã de sexta-feira, 15 de março, numa ação de limpeza das margens da ribeira da Canhota (jusante da rua de Pinhel).

Começam a dar-se os primeiros sinais da envolvência e da participação ativa na limpeza e requalificação das margens ribeirinhas das linhas de água da Freguesia de Caldelas. Implementou-se esta iniciativa com ajuda do voluntariado, no âmbito da responsabilidade ambiental, da gestão dos recursos naturais, dos resíduos e da biodiversidade relacionadas com a gestão da água. Promoveu-se a educação, a consciencialização e o envolvimento ativo na valorização do ambiente ripícola da Vila de Caldas das Taipas.

Todos os participantes mostraram empenho na recolha de resíduos e estavam muito felizes por terem contribuído nesta causa Ambiental. Nas margens da ribeira da canhota foram recolhidos muitos plásticos, recipientes de produtos alimentares, roupa, pneus e entulho de obras, que foram ali parar principalmente pela ação humana. Uma ação de limpeza só possível após o trabalho de desimpedimento das margens da ribeira por parte da Junta de Freguesia de Caldelas e da Brigada Verde de Caldelas.

Para os alunos da Escola da Charneca, esta experiência na Natureza foi significativa e quando é realizada durante a infância ficará associada a comportamentos de conservação e proteção ambiental na idade adulta. Como prémio de cuidarem da Natureza, ainda observaram um Lagarto-de-água e puderam tocar nas suas escamas.

Junta de Freguesia executa trabalhos de desimpedimento do leito da Ribeira da Canhota, num troço de 100 metros a jusante da rua de Pinhel

A Junta de Freguesia de Caldelas está a desenvolver trabalhos de desimpedimento do leito da Ribeira da Canhota. O leito da ribeira estava muito bloqueado nesta zona e a água saía do leito espalhando-se pelas margens, originando margens extensas de zona alagada. As silvas tinham proporções descontroladas e tinham tomado conta de toda esta a área ripícola. É perfeitamente normal que a mexida do leito da ribeira da Canhota origine alguma turvação da água que se irá detetar a jusante.

A intervenção está a ser desenvolvida de modo a preservar a vegetação autóctone, removendo a vegetação infestante existente no leito e margens, removendo ainda árvores caídas, resíduos e obstruções e assoreamento que impeçam o escoamento ou dificultam o acesso à ribeira, de modo que apresente um bom aspeto ecológico.

INFORMAÇÃO | Rastreio Visual

A Junta de Freguesia informa que no dia 18 de março (2ª feira) pelas 09h30, em parceria com o grupo Jorge Oculista serão realizados rastreios visuais junto à entrada do recinto da Feira Semanal.

A Junta de Freguesia

Junta de Freguesia de Caldelas executa desobstrução de troço da Ribeira da Canhota

No Dia Internacional de Ação pelos Rios, quinta-feira 14 de março, acompanha-se a execução dos trabalhos de desimpedimento do leito da Ribeira da Canhota, num troço de 100 metros a jusante da rua de Pinhel.

O leito da ribeira estava muito bloqueado nesta zona e a água saía do leito espalhando-se pelas margens, originando margens extensas de zona alagada. Antes desta ação, um voluntário da Brigada Verde de Caldelas esteve a efetuar, com uma roçadora, um desbaste nas silvas que tinham proporções descontroladas e tinham tomado conta de toda esta a área ripícola. É perfeitamente normal que a mexida do leito da ribeira da Canhota origine alguma turvação da água que se irá detetar a jusante.

A intervenção será feita de modo a preservar a vegetação autóctone, removendo a vegetação infestante existente no leito e margens, removendo ainda árvores caídas, resíduos e obstruções e assoreamento que impeçam o escoamento ou dificultam o acesso à ribeira, de modo que apresente um bom aspeto ecológico.

Brigada Verde | Reflorestar a encosta da Penha, que também é dos Taipenses

A Brigada Verde de Caldelas marcou presença, nesta manhã solarenga de sábado, na primeira ação de plantação de árvores e arbustos autóctones da encosta da Penha, contribuindo assim para o projeto de recuperação daquela área (Quinta de Barredo) que continha eucaliptos e mimosas. O grupo de Caldas das Taipas contou com 11 adultos, 3 jovens e 4 crianças e desta forma, estiveram a contribuir para que a candidatura da Montanha da Penha à rede de áreas protegidas seja uma realidade. Desta vez plantaram-se cerejeiras silvestres e inúmeros carvalhos.

A missão do Guimarães mais Floresta é a de (re)florestar as áreas do concelho contribuindo para promoção e proteção da Biodiversidade e da Floresta Autóctone, bem como promover a melhoria das áreas verdes do concelho.

Os Taipenses também têm responsabilidades de intervenção na Penha, porque esta causa também é nossa. Através de atividades no terreno vamos adquirindo os sentimentos de proteção, do cuidar e da pertença.